Lama na Estrada I

Um Koan é uma narrativa, um diálogo, uma questão ou uma afirmação que contém aspectos que não são imediatamente acessíveis à razão. A ideia é que, ao meditar sobre o koan, a pessoa consiga achar significados diversos (normalmente associados ao seu momento de vida) e assim atingir a iluminação, ou solucionar qualquer que seja a questão.

Esse é meu koan favorito.

“Tanzan e Ekido estavam viajando juntos, e uma chuva pesada começou a cair. Chegando em um ponto particularmente castigado, eles encontraram uma adorável moça que não conseguia passar por uma grande poça de lama que se formara na estrada.

‘Venha, menina,’ disse Tanzan e, carregando-a nos braços, atravessou a poça, mantendo a moça limpa.

Ekido permaneceu calado pelo restante do dia, até que chegaram a um templo, tarde da noite, onde dormiriam. Então não conseguiu mais se conter e disse, ‘Nós, monges, não devemos nos aproximar de mulheres,’ ele disse a Tanzan, ‘especialmente das jovens e bonitas. É perigoso. Por que você fez aquilo?’

‘Eu deixei a moça lá,’ respondeu Tanzan. ‘Você ainda a está carregando?'”

Boa parte do seu controle sobre o Domínio Público não está em fugir da Horda Voraz, mas em ouvir os palpites pelo tempo em que estão juntos. Se não for algo que faz você evoluir na sua Filosofia, você agradece pelo interesse e cuidado, mas não leva palpite pra casa. Não vai servir você em nada ficar remoendo aquilo que não vai agregar pra melhor.

Uma resposta para “Lama na Estrada I”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *