Educação 

​Mais uma vez, uma médica joga na cara dos pacientes os 30 anos de experiência dela (esse é algum número mágico?) pra prestar um serviço de baixa qualidade.

Em 30 anos de vida eu aprendi a ser educado, e saí da sala antes de responder. Talvez seja hora de tanto ela quanto eu desaprendermos algumas coisas.

Serviço

Pela minha experiência recente, obstetras e pediatras têm ou medo, ou preguiça, ou ganância. Seja como for, tenho sentido uma pasteurização no serviço, de modo que o relacionamento fica em segundo plano. O resultado disso é não só uma queda no valor percebido por quem contrata os serviços (nesse caso, os pais), mas uma disseminação de uma cultura também pasteurizada.

Continue reading “Serviço”

Lama na Estrada I

Um Koan é uma narrativa, um diálogo, uma questão ou uma afirmação que contém aspectos que não são imediatamente acessíveis à razão. A ideia é que, ao meditar sobre o koan, a pessoa consiga achar significados diversos (normalmente associados ao seu momento de vida) e assim atingir a iluminação, ou solucionar qualquer que seja a questão.

Esse é meu koan favorito.

Continue reading “Lama na Estrada I”

Pontes

Eu sempre quis fazer uma tatuagem. Que eu me lembre, cada fase da minha vida teve uma razão pra eu querer uma – ou era legal, ou era rebelde, ou era bonito, ou marcava algo importante. Mas nunca chegava ao ponto de fazer uma, e também com várias desculpas: meus pais não me deixam, eu não tenho dinheiro, eu não sei qual é a ideia, eu não sou tão descolado, eu vou me arrepender, não vai ficar legal. Então, há um mês, eu fiz uma tatuagem.

Continue reading “Pontes”