Quem você quer ser?

Uma vida de trabalho pode parecer assustadora,  desanimadora, ou apenas chata. Mas não precisa ser.

Eu acredito que nós falamos sobre trabalho de uma maneira pesada porque não aprendemos que pode ser diferente.  Nosso vocabulário é todo direcionado pra mostrar como estamos numa prisão, num martírio, agonizando perto da segunda-feira e esperando desesperadamente pela liberdade da sexta-feira.

Eu penso diferente.

Acredito que o trabalho é uma oportunidade de criar, se encontrar, e alcançar nosso potencial pleno como pessoas.

 

Essa pode parecer uma visão radical pra uns, ingênua pra outros. Talvez porque nós nunca tenhamos tido uma referência positiva; talvez porque aprendemos que o sofrimento no presente vai ser recompensado no futuro; ou simplesmente porque estamos no caminho errado, acreditando que seja o único caminho que temos a seguir.

Nós vamos passar pelo menos 70 mil horas trabalhando, e isso se considerarmos trabalho apenas como emprego. Acho que é tempo demais pra passar sofrendo, e esse tempo pode ser melhor aproveitado nos aperfeiçoando como pessoas, em todas as áreas das nossas vidas.

Em vez de prisão, trabalho pode ser liberdade. Minha missão é mostrar isso.

Testemunhos

O Fernando tem uma das mentes mais criativas e brilhantes que eu já conheci quando se trata do que eu gosto de chamar de “psychological management”: um olhar racional, mas não-ortodoxo, sobre solução de problemas. Boa parte disso, acredito, se dá pelo fato de que ele é um cara que sente uma paixão pura e autêntica pela busca incessante por conhecimento – tanto para aplicação profissional quanto para se conhecer enquanto pessoa. Disposto a andar o “extra mile”, tem uma bagagem teórica e prática suficiente para dar insights precisos no direcionamento de carreira de outras pessoas.

— Igor N.

 


 Tive a oportunidade de ter algumas conversas de coaching com o Fernando e o grande diferencial para mim foi o incentivo a pensar de forma criativa, a ampliar o repertório, a me desprender de padrões e modelos e descobrir que há caminhos que me permitem testar algumas idéias e áreas de interesse. Os diálogos me ajudaram bastante no sentido de sedimentar e organizar pensamentos e dar os primeiros passos em algumas iniciativas que estavam apenas no campo das idéias.

— Eluan R.